cinza é um grupo multiartístico coordenado pelos escritores Gustavo Colombini e João Dias Turchi. o grupo atua em intervenções urbanas, teatro, rua, arquitetura, literatura, publicações, artes visuais e dramaturgia. os eventos do grupo tem seu foco no texto, no espaço e na palavra. criado em 2013, o cinza surgiu a partir do projeto planta, evento teatral realizado no minhocão/sp que fez parte da x bienal de arquitetura (2013). atualmente, o grupo segue em pesquisas artísticas colaborativas e individuais, inaugurando um espaço fluido de atuações dos profissionais e colaboradores dos projetos criados pelo grupo.

EN cinza is a multi-artistic group coordinated by writers Gustavo Colombini and João Turchi. the group works in urban interventions, theater, street, architecture, literature, publications, visual arts and dramaturgy. Their events are focused on text, space and word. Created in 2013, cinza emerged from the Planta project, a theatrical event that was part of the 10th architecture biennial (2013). currently, the group continues in collaborative and individual artistic research, inaugurating a fluid space for professionals and collaborators in the projects created by the group.

-------

gustavo colombini é dramaturgo e diretor teatral formado pela Universidade de São Paulo (ECA-USP) e fez parte da terceira turma do Núcleo de Dramaturgia SESI - British Council. foi indicado ao Prêmio APCA de Dramaturgia, pela peça Colônia. também foi indicado ao Prêmio Shell de Teatro de São Paulo, na categoria de Melhor Autor, pela peça O silêncio depois da chuva.

EN gustavo colombini is a playwright and theater director graduated from the University of São Paulo (ECA-USP) and was part of the third group of the Center for Dramaturgy SESI - British Council. He was nominated for the APCA Dramaturgy Award for the play Colônia [Colony]. He was also nominated for the Shell Theater Award of São Paulo, in the category of Best Author, for the play O silêncio depois da chuva [The silence after the rain].

+ trabalhos de gustavo colombini

joão turchi é escritor e dramaturgo, mestre em teatro pela Universidade de São Paulo (ECA-USP) e fez parte da quarta turma do Núcleo de Dramaturgia SESI- British Council. é autor da peça Máquina de escrever reticências (2012), dirigida por Beth Lopes, no SESI Paulista. também é autor das peças Todas as ruas têm nome de homem (2016), com direção de Francis Wilker e Festa de Inauguração (2019), ao lado do Teatro do Concreto. Com o grupo MEXA, que trabalha com comunidades em situação de vulnerabilidade, escreveu 69 Salas HeV (2016), como parte de residência artísica realizada na Casa do Povo, Terminal 10 mg (2017), como parte do Programa VAI e Cancioneiro Terminal (2018/2019), selecionado pela Mostra Verbo, pela Bienal de Dança de Campinas e pela MIT-sp. Realizou uma série de oficinas com o SESC Dramaturgias, e dentro da programação de festivais, como Kaly Drama, Experimenta Sur e Brujula al Sur.

EN joão turchi is a writer and playwrighter, with a master's degree in theater from the University of São Paulo (ECAUSP), was part of the Center of Dramaturgy SESI-British Council. He is the author of the play Ellipsis’ Typewriter (2012), directed by Beth Lopes, at SESI Paulista. He is also the author of the play All the streets have a man's name (2016), directed by Francis Wilker, in addition to writing and co-directing the play Opening Party (2019), along with Teatro do Concreto, also directed by Francis Wilker, premiered at SESC Pompeia in May 2019. With MEXA, which works with vulnerable communities, he wrote 69 HeV Rooms (2016), as part of an artistic residency held at Casa do Povo, Terminal 10 mg (2017), as part of the VAI Program and Terminal Songbook (2018/2019/2020), selected by Mostra Verbo, the Campinas Dance Biennial and MIT-sp. Held a series of workshops with SESC Dramaturgias, and within the program of festivals, such as Kaly Drama, Experimenta Sur and Brujula al Sur.

+ trabalhos de joão turchi
são paulo/brasil